CBN - A rádio que toca notícia

POLÊMICA

Reforma de Temer obriga brasileiro a trabalhar dez anos a mais para se aposentar

Especialistas da área previdenciária dizem que, entre outros erros, os números oficiais colocam na Previdência despesas que deveriam estar na conta do Tesouro Nacional

06/12/17, 13:00

S

em discussão prévia com a sociedade, o governo Michel Temer quer impor ao Congresso uma reforma na legislação previdenciária que protege alguns segmentos da população, impõe sacrifícios maiores a outros e, na média, obrigará os brasileiros a trabalhar aproximadamente dez anos a mais para ter direito à aposentadoria.

Uma das instituições mais empenhadas em levar a debate público o tema – tratado na Proposta de Emenda Constitucional 287 (PEC 287/2016) – é a Associação dos Docentes da Universidade de Brasília (ADUnB). “Não pode haver tratamento diferenciado”, afirma o presidente da entidade, Virgílio Arraes.

Ele defende que eventuais mudanças na Previdência, além de discutidas de maneira ampla com a população, sejam para todos. E acrescenta que é preciso colocar na mesa todas as contas de forma transparente. “Ninguém debate com a mesma ênfase o gasto do governo com juros da dívida pública, por exemplo. Temos que tratar as finanças governamentais de modo global, não só as contas da Previdência”, indica.

Hoje, o trabalhador do setor privado pode se aposentar somente a partir dos 55 anos de idade, desde que cumpra diversos outros pré-requisitos. Prevalecendo os critérios desejados pelo governo Temer, a idade mínima para aposentadoria passará a 65 anos. Para a mulher, a idade aumentará de 53 para 62 anos.

O cronograma prevê o aumento gradativo da idade mínima até 2042. Para os servidores públicos, a idade mínima subirá de 60 para 65 anos, no caso dos homens, e de 55 para 62, no caso das mulheres. A idade mínima para os professores do setor privado subirá para 60 anos. Para os policiais, a regra será permanente: 55 anos.

Menos direitos para os trabalhadores, menos votos para os políticos

O governo alega que, sem a reforma, a Previdência terá déficit de R$ 202,2 bilhões no próximo ano. Em 2017, segundo o Ministério da Fazenda, a conta deve ficar negativa em R$ 188,8 bilhões. Diversos técnicos e instituições da área previdenciária contestam, no entanto, esses números e dizem que o governo não têm agido nem com transparência nem com boa-fé ao discutir a questão.

Um exemplo foi a recente campanha publicitária veiculada no rádio e na televisão, na qual a administração federal apontava os servidores públicos como privilegiados que impõem à nação custos insuportáveis em razão de benefícios previdenciários injustificáveis. A campanha foi suspensa pela Justiça para evitar “efeitos irreversíveis à honra e à dignidade daqueles diretamente atingidos pela mensagem nela contida”, conforme as palavras da juíza Rosimayre Gonçalves de Carvalho, da 14a Vara Federal de Brasília.

O presidente da ADUnB, Virgílio Arraes, enfatiza que a reforma pode colocar a comunidade universitária contra os parlamentares na eleição do próximo ano, caso aprovem a proposta do governo. “Se aprovarem a reforma desta forma, os trabalhadores vão perder direitos e os políticos, votos”, resume o professor. Arraes admite que a Previdência dos servidores públicos é deficitária, se considerada apenas a sua contribuição de 11% mensal, mas não se pode ignorar a parte patronal, o governo, como tem sido feita na iniciativa privada ao menos – 8% do trabalhador e 12% do empregador. Além disso, ele defende que o debate seja feito com dados reais e consistentes, com a inclusão dos impostos destinados à seguridade social e sem nenhum tipo de manobra como a utilização da DRU (desvinculação das receitas da União). “O governo não conseguiu acertar a projeção do déficit para este ano,como vamos ter segurança numa projeção para dez ou 20 anos?”, questiona.

Especialistas da área previdenciária dizem que, entre outros erros, os números oficiais colocam na Previdência despesas que deveriam estar na conta do Tesouro Nacional. É o caso, por exemplo, dos benefícios de prestação continuada pagos apessoas idosas que não contribuíram para a Previdência e por isso não têm direito à aposentadoria. A Previdência perde também com a desvinculação de receitas orçamentárias (DRU), como já citado, que permite ao Tesouro se apropriar de 20% da arrecadação previdenciária.

Comissão parlamentar de inquérito do Senado Federal, realizada neste ano a pedido do senador Paulo Paim (PT-RS), concluiu que as contas da Previdência estão equilibradas com inconsistência nos dados apresentados pelo Poder Executivo. De acordo com o relatório final da CPI, não haveria necessidade de reforma se o governo cobrasse das empresas privadas os R$ 450 bilhões que elas devem em contribuições previdenciárias.

Fonte: JL/Congresso em Foco
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
26/05/18, 20:56 | NOVA CRISE - Presidente da FUP avisa: greve dos petroleiros será a maior da história
26/05/18, 20:30 | PARALISAÇÃO - Piauí tem 80% dos postos sem combustível e sindicato teme mais prejuízos
26/05/18, 20:25 | CRISE - Rodrigo Maia volta a atacar Michel Temer: 'governo fraco'
26/05/18, 20:12 | PARALISAÇÃO - Em todo o Brasil, 101 voos são cancelados por falta de combustível nos aeroportos
26/05/18, 20:08 | GREVE - Entenda por que a paralisação dos caminhoneiros é legítima
26/05/18, 20:00 | ESPORTE - Real Madrid conquista 13º título da Champions
26/05/18, 13:49 | CRISE - Caos de Presidente da Petrobras pode matar 1 bilhão de aves e destruir indústria de alimentos
26/05/18, 13:34 | POLÍTICA - Pré-candidatura de Lula será lançada no Brasil e no exterior neste domingo
26/05/18, 13:21 | CRISE - PEDIDA RENÚNCIA DE TEMER: País no 'limiar de regime de exceção'
26/05/18, 13:10 | GREVE - 'Não vamos encerrar o movimento tão cedo', diz presidente da Abcam
26/05/18, 13:01 | CRÍTICA - Ciro diz que a política de preços de Temer e de Parente é uma fraude
26/05/18, 12:35 | DISCURSO - Marun: governo começará a aplicar multa de R$ 100 mil por hora parada
26/05/18, 12:28 | CRÍTICA - ‘Palavras de Temer estão com pouca credibilidade’, diz Rodrigo Maia
26/05/18, 12:22 | CRISE - Pelo menos seis aeroportos estão sem combustível
26/05/18, 12:16 | MOVIMENTO - Por que é preciso dar todo apoio à greve dos caminhoneiros
26/05/18, 12:09 | CRISE - Comércios ficam zerados de produtos e funcionários são dispensados em Teresina
25/05/18, 21:27 | CRISE - Militares demonstram preocupação e criticam decisão de Temer
25/05/18, 21:22 | DECISÃO - Ministro do Supremo Tribunal autoriza uso de força para desbloqueio de rodovias
25/05/18, 21:06 | MERCADO - Paralisação do Brasil e a desastrosa gestão do presidente da Petrobras
25/05/18, 21:03 | POLÍTICA - Pedro Parente é representante dos EUA no Brasil, denuncia embaixador
25/05/18, 20:59 | POSIÇÃO - Repressão contra caminhoneiros mostra desespero de Temer
25/05/18, 20:38 | DENÚNCIA - Banco presidido por sócio do presidente da Petrobras recebeu R$ 2 bilhões da empresa brasileira, diz revista
25/05/18, 16:16 | ECONOMIA - Criticado por alta de combustíveis, Meirelles condena empresários
25/05/18, 16:12 | CRISE - Líder acha que Temer 'piorou a situação' ao convocar Exército
25/05/18, 16:02 | POLÍTICA - Dilma bate Aécio e lidera corrida para o Senado em Minas
25/05/18, 15:32 | CRISE - Estados fazem acordo que reduz em 5 centavos o preço do diesel
25/05/18, 15:25 | CRISE - Alta dos combustíveis é culpa da política de preços da Petrobras e não dos impostos
25/05/18, 15:21 | OPINIÃO PÚBLICA - Pesquisa Ipsos: Lula é o candidato mais aprovado e menos reprovado
25/05/18, 15:12 | POLÊMICA - Governador repreende policial e cancela multa de motoristas que faziam fila para abastecer
25/05/18, 14:01 | MOVIMENTO - Protesto de caminhoneiros afeta distribuição de jornais e revistas
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site